Mostrando postagens com marcador leite. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador leite. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 29 de junho de 2016

5 motivos para beber leite durante a fase adulta



Atualmente existem uma série de questionamentos em torno da manutenção ou não do consumo de leite e derivados na dieta humana após a infância. A nutricionista Ana Paula Wolf dá 5 motivos para o ser humano continuar consumindo leite e derivados na vida adulta: 


 1-Evolução da espécie: O ser humano foi o único animal da cadeia alimentar a evoluir e desenvolver recursos para sua subsistência, como a pecuária, o vestuário e a tecnologia. Natural que seu organismo evolua para acompanhar essas mudanças. Ao desenvolver a pecuária, há quase 9 mil anos, foi capaz de introduzir novos alimentos em sua dieta e fez com que seu sistema digestivo se tornasse apto a receber processar leite e derivados. Geneticistas da Universidade de Maryland, EUA, demonstraram recentemente que o ser humano adquiriu a capacidade de digerir a lactase (enzima que digere a lactose), sendo esta uma evolução genética da espécie humana.

 2-Reconhecimento Mundial: Os Guias alimentares do Reino Unido, Brasil e Estados Unidos reforçam a necessidade do consumo de lácteos. Além das refeições principais, o guia alimentar do Brasil traz a composição dos lanches intermediários ou pequenas refeições (como citado no guia), onde os lácteos recebem destaque, principalmente o leite e o iogurte natural.

3-Alta concentração de nutrientes: Os lácteos têm relevância como uma das principais fontes de cálcio na alimentação, quando consideradas as quantidades e percentual de absorção. O cálcio exerce papel fundamental na regulação de processos intracelulares, além de ser essencial para a saúde óssea.

4-Integra o rol de nutrientes necessários para o funcionamento do corpo humano: Lácteos são reconhecidos pelos atributos nutricionais, por serem fontes importantes de proteína de alto valor biológico, com todos os aminoácidos essenciais, sendo as proteínas lácteas compostas pelas caseínas (que são proteínas altamente estáveis e não são facilmente alteradas pelo calor) e pelas proteínas do soro, que representam 20% das proteínas lácteas e se destacam por sua importância na síntese de proteínas sanguíneas e teciduais.

5-Contribui para a diversidade alimentar: “Consumir um padrão alimentar saudável, composto por todos os alimentos e bebidas dentro de um nível de calorias adequado” essa é uma das mensagens do Guia Alimentar dos Estados Unidos, que trata sobre o respeito à diversidade dos alimentos e à quantidade consumida de cada alimento para constituir a alimentação.

A nutricionista ressalta que é preciso buscar uma alimentação balanceada: “ O importante é encontrar o equilíbrio quantitativo e qualitativo, sem abdicar da variedade alimentar e nutricional... causa ou consequência da evolução de nossa espécie! ”

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Doação de leite materno - Campanha

·         


      No dia 19 de maio de 2015, o Brasil celebra o Dia Mundial de Doação de Leite Humano, acompanhando as comemorações nos países da Iberoamérica, África e América Latina, com o objetivo de mobilizar a população e as mulheres que amamentam para a importância da doação de leite humano, visando ao aumento do número de novas doadoras voluntárias e do volume de leite humano coletado e distribuído para recém-nascidos prematuros e de baixo peso internados no Brasil e no mundo.

·         Apesar das mobilizações já realizadas, o número de doações de leite humano ainda é baixo em relação à demanda no país. De janeiro a dezembro de 2014, o número de leite humano coletado em todo o Brasil foi de 176 mil litros. Desses, foram distribuídos 137 mil litros. No total, 170 mil recém-nascidos foram beneficiados, a partir da doação de 157 mil mulheres. No entanto, o volume de leite humano coletado representa de 55% a 60% da real demanda por leite humano no Brasil. Por isso o Ministério da Saúde trabalha aumentar em 15% ao ano o volume de leite humano coletado.

                                                                                                             
·         A amamentação é fundamental para os bebês. O leite materno é capaz de reduzir em 13% as mortes por causas evitáveis em crianças menores de 5 anos. Ele contém componentes e mecanismos capazes de proteger a criança de várias doenças.

O Ministério da Saúde recomenda que, até os seis meses de vida, o bebê seja alimentado exclusivamente com leite materno para ter um crescimento  ·         forte e um desenvolvimento saudável. Depois dos seis meses, a criança deve começar a receber alimentação complementar segura e nutricionalmente adequada, juntamente com a amamentação, até os dois anos de idade - ou mais.

·         Como o leite não pode ser produzido artificialmente, os bebês que não possuem o alimento materno precisam contar com doações de outras lactantes. Segundo a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (RBBLH) qualquer mulher que amamenta é uma possível doadora de leite humano, basta ser saudável e não tomar nenhum medicamente que interfira na amamentação.

·         A doação de leite é importantíssima, já que ajuda a nutrir crianças impossibilitadas de consumir o alimento da própria mãe. O leite doado é oferecido a bebês hospitalizados, geralmente aqueles que nasceram prematuros e com baixo peso. Cada litro pode atender até 10 recém-nascidos.

·         Antes de chegar aos recém-nascidos, o leite doado passa por testes para atestar a qualidade e por um processo de pasteurização. Como é destinado a crianças com estado de saúde frágil, o leite não deve apresentar microrganismos em quantidade ou qualidade capazes de representar riscos à saúde. 

·         Caso conheça um bebê que necessita de leite, o Ministério da Saúde recomenda buscar um banco de leite para doações. Não é aconselhado que as mulheres amamentem crianças que não são seus filhos, pois pode ocorrer o que é chamado de contaminação cruzada. Quando a mulher ou o bebê possuem alguma doença que pode ser transmitida pela amamentação.  A criança amamentada pela própria mãe já recebeu anticorpos para algumas doenças durante a gestação e sendo assim ela está protegida

Para doar o leite, as lactantes precisam seguir alguns passos. Essas instruções também funcionam para quem precisa armazenar leite para o próprio bebê

Preparo do frasco para guardar o leite:
Lave um frasco de vidro com tampa de plástico (do tipo maionese ou café solúvel), retirando o rótulo e o papel de dentro da tampa. Coloque o frasco e a tampa em uma panela, cobrindo-os com água. Ferva-os por 15 minutos, contando o tempo a partir do início da fervura. Escorra-os sobre um pano limpo até secar. Feche o frasco sem tocar com a mão na parte interna da tampa. O ideal é deixar vários frascos preparados.

Higiene pessoal antes de iniciar a coleta:
Use uma touca ou um lenço para cobrir os cabelos. Coloque uma fralda de pano ou uma máscara sobre o nariz e a boca. Lave as mãos e os braços até o cotovelo com bastante água e sabão. Lave as mamas apenas com água. Seque mãos e as mamas com toalha limpa.

Local adequado para retirar o leite:
Escolha um lugar confortável, limpo e tranquilo. Forre uma mesa com pano limpo para colocar o frasco e a tampa. Evite conversar durante a retirada do leite.

Saiba como retirar o leite das mamas:
Massageie as mamas com a ponta dos dedos, fazendo movimentos circulares no sentido da parte escura (aréola) para o corpo. Coloque o polegar acima da linha onde acaba a aréola. Coloque os dedos indicador e médio abaixo da aréola. Firme os dedos e empurre para trás em direção ao corpo.  Aperte o polegar contra os outros dedos até sair o leite. Despreze os primeiros jatos ou gotas. Em seguida, abra o frasco e coloque a tampa sobre a mesa, forrada com um pano limpo, com a abertura para cima. Colha o leite no frasco, colocando-o debaixo da aréola. Após terminar a coleta, feche bem o frasco.

Como guardar o leite coletado?
Anote na tampa do frasco a data e a hora em que realizou a primeira coleta do leite e guarde o frasco fechado imediatamente no freezer ou no congelador. Se o frasco não ficou cheio, você pode completá-lo em outro momento. Para completar o volume de leite no frasco sob congelamento, utilize um copo de vidro previamente fervido por 15 minutos, e escorra-o sobre um pano limpo até secar. Coloque o leite recém-ordenhado sobre o que já estava congelado até faltarem dois dedos para encher o frasco. Guarde imediatamente o frasco no freezer ou no congelador. Após a ordenha em que o frasco de vidro esteja completo, a mãe deve ligar para o banco de leite humano. O frasco com o leite congelado deverá ser transportado adequadamente para o banco de leite humano, em até 10 dias da data da primeira coleta.

Como conservar o leite coletado?

O leite humano ordenhado pode ficar no freezer ou no congelador da geladeira por até 10 dias, quando deverá ser transportado ao banco de leite humano.


Para doar procure o banco de leite mais próximo de sua casa e informe-se como funciona a coleta em sua região. No site www.redeblh.fiocruz.br você pode saber onde fica em sua região

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Composto lácteo para crianças

Hoje participei de um evento na Nestlé para o lançamento de um novo produto chamado Neslac Comfor. Ele é um composto lacteo para crianças que contem fibras, DHA, e é isento de açúcar e aromatizantes, sendo assim é uma beleza para o bom funcionamento do intestino dos pequenos. Afinal, se a gente se sente mal quando não consegue ir ao banheiro, imagine as crianças? Eles ficam amoadinhos, nem querem brincar... Por isso é sempre bom ficar de olho se eles estão indo ao banheiro normalmente quando isso acontece. Fiquem de olho mamães ;)

E quem comandou o bate papo foi a apresentadora Chris Flores que gente, é pura simpatia!!! Quando chegamos ela já estava lá toda sorridente e de atenção pra todo mundo, uma fofa!!!  Além disso, a Nestlé nos recebeu muuuito bem com uma mesa linda e super saudável de café da manhã, olha as fotinhos...










quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Ele não suporta leite



O Alezinho não suporta leite. É incrível!

Quando bebê ele mamou por um pequeno tempo no peito, até que tive que complementar. Aí ele tomava tudo certinho. Mas quando fez uns 2 anos o moleque não queria mais saber de leite. Desespero.

Daí a gente sempre dava o "tete" pra ele dormindo. E hoje, 3 anos depois ele continua do mesmo jeito. Tem que tomar o leite dormindo, na mamadeira, e se tiver meio acordado e sentir o gosto, pára na hora de tomar. Sabe quando a criança não quer nem sentir o cheiro? Pois é.

Mas tem um lado, ele toma iogurte e adora um milkshake. Então vou alternando com isso. Se ele não toma o leite, acaba durante o dia tomando um iogurte.  Pensa que ele é fraquinho pq não toma leite? Não, não!

O menino é forte e está perfeitamente bem de saúde. (Obrigada Jesus) Daí entra aquele papo, criança que não toma leite não vai crescer bem, mas olha só, eu nunca fui de tomar leite e tô aqui, vivinha e fortinha da silva, obrigada!

Related Posts with Thumbnails

Blog Dri Viaro - Família, viagens, gastronomia e cotidiano © 2008. Template by Dicas Blogger.

TOPO